domingo, 29 de dezembro de 2013

Retrospectiva 2013: O ano dos reis da velocidade


Para marcar minha volta como colaborador do FC Gols trarei aqui a retrospectiva de 2013 e começamos com os destaques da velocidade num ano em que Sebastian Vettel sobrou na turma da Fórmula 1, Scott Dixon tirou um título certo de Hélio Castroneves na Indy, Jimmie Johnson caminha para ser lenda na NASCAR e no Brasil campeões surpreendentes.


Fórmula 1: Vettel vence temporada marcada pela monotonia:



Numa temporada pouco empolgante Sebastian Vettel sobrou na turma e com enorme precocidade chegou ao tetracampeonato mundial de Fórmula 1 aos 26 anos de idade. Com uma máquina praticamente imbatível e infinitamente superior, Vettel levou o título faltando três provas pra terminar ao vencer na Índia, sem adversário à altura foi muito fácil. Nas primeiras dez corridas do ano Vettel venceu quatro (Malásia, Bahrein, Canadá e Alemanha).


Os rivais até que tentaram: A Mercedes ganhou três, sendo duas com Nico Rosberg e uma com Lewis Hamilton, Fernando Alonso com a Ferrari venceu na China e em casa na Espanha e Kimi Raikkonen venceu a prova inaugural na Austrália. Depois das férias só deu Vettel: Foram nove vitórias seguidas igualando a marca que pertencia ao italiano Alberto Ascari em 1953 e treze vitórias numa só temporada, repetindo o feito do compatriota Michael Schumacher em 2004. Diante de tanta soberania, a FIA resolveu mudar o regulamento da categoria.

Em 2014 estreiam os novos motores turbo V-6 de 1,6 litro, cãmbio de oito marchas, único para todas as corridas do campeonato e limite de 6 GPs, caso seja trocado antes desse limite perde dez posições, carteira de pontos para quem for punido, e se a soma atingir 12 pontos o piloto será suspenso por um GP , limite de velocidade nos boxes passando de 100 para 80 km/h e treinos livres às sextas com 2 horas de duração.


Felipe Massa teve um ano sofrível em sua despedida correndo pela Ferrari. Os maus resultados que tanto incomodaram nos últimos anos reapareceram, e este ano ele chegou a bater o carro duas vezes, fato raro na carreira. Em setembro anuncia sua saída da equipe depois de oito anos.

O piloto brasileiro esteve muito ameaçado de ficar de fora da categoria, o que deixaria o Brasil sem representantes, mas em novembro acertou com a equipe Williams e será o sétimo piloto brasileiro a correr na equipe de Frank Williams. O desafio não será fácil, pois a equipe está no pelotão intermediário e em 2014 vai passar por uma reestruturação completa. Massa terá como companheiro de equipe o finlandês Valtieri Bottas.

Indy: Dixon reage e conquista o tricampeonato:


A temporada 2013 da Fórmula Indy tinha tudo pra ser a consagração do brasileiro Hélio Castroneves, mas no fim quem riu por último foi Scott Dixon. O piloto da Nova Zelândia levou seu terceiro título na categoria com uma reação sensacional nas provas finais. Helinho teve como arma a regularidade, pontuando em quase todas as corridas, mas faltando três provas o título começava a ir embora num final de semana cheio de problemas no circuito de Houston quando a caixa de câmbio quebrou na rodada dupla. Até então ele vinha de bons resultados inclusive com a vitória conquistada no oval do Texas.

Já Dixon vinha de uma temporada apagada mas a partir de Pocono o piloto da Chip Ganassi iniciou a reação vencendo a prova. Foram quatro vitórias na temporada e o título veio em Fontana numa disputa apertada e no fim a quinta colocação somada ao sexto lugar do brasileiro que foi combativo até o fim.


Tony Kanaan teve seu grande momento no ano ao vencer as 500 Milhas de Indianápolis em 26 de maio depois de 12 tentativas frustrantes. Kanaan terminou a temporada em 11º lugar no campeonato e em 2014 vai correr na Chip Ganassi num time forte ao lado do campeão Dixon e do australiano Ryan Briscoe que volta à categoria. Bia Figueiredo correu as etapas do Brasil e de Indianápolis terminando o campeonato na 29ª colocação.


A Indy assistiu o anúncio da despedida do escocês voador Dario Franchitti que decidiu se aposentar das pistas depois do terrível acidente em Houston quando teve concussão cerebral e o tornozelo machucado. Franchitti conquistou três vitórias em Indianápolis e quatro títulos na Indy.


A São Paulo Indy 300 foi disputada pela última vez este ano no circuito montado no Anhembi e teve a vitória do canadense James Hinchcliffe que ultrapassou o japonês Takuma Sato na última curva. A etapa brasileira fica de fora do calendário de 2014 pois a Prefeitura de São Paulo rompeu o contrato com a IndyCar alegando não ter recursos para continuar com a corrida e a Indy busca uma nova cidade para abrigar a corrida. Sobre as transmissões pela TV, a Bandeirantes ainda não decidiu se mostrará o campeonato do ano que vem, devido ao corte de gastos que a emissora vem passando, mas existe a possibilidade da emissora continuar transmitindo caso seja concretizada a integração de mídias do Grupo Bandeirantes.

NASCAR: Jimmie Johnson a caminho de ser lenda:


2013 foi um ano histórico na NASCAR. Numa temporada que marcou a estreia da bolha GEN6, Jimmie Johnson tratou de escrever a história com seu sexto título na Sprint Cup, a divisão principal. Num desempenho impressionante o californiano de 38 anos chegou à essa façanha com 12 temporadas completas na divisão principal.

Mesmo não sendo carismático e popular nos Estados Unidos ele tem por trás de tudo isso uma competente equipe (Hendrick Motorsports) que lhe entrega um carro quase perfeito tendo à frente o chefe dos mecânicos Chad Knaus, um parceiro que ajudou a construir a brilhante história. Seu grande rival foi Matt Kenseth que este ano trocou a equipe de Jack Roush pela Joe Gibbs e foi o piloto que mais venceu corridas no ano, sete, mas não o suficiente para vencer o piloto do carro 48, mesmo assim deu um novo gás na carreira.

A nova bolha GEN 6 mostrou ser rápida e veloz, pois em 36 corridas tivemos 19 recordes quebrados nos qualifys e as três montadoras ao final da temporada estavam no mesmo nível. Dentre as decepções o campeão de 2012 Brad Keselowski que foi atingido pela ressaca devido à troca da bolha da Dodge pela Ford, Denny Hamlin que ficou de fora de quatro corridas por conta do duelo com Joey Logano e Tony Stewart que ficou afastado das pistas por conta de acidente durante prova de sprint cars.

O Chase deste ano teve 13 pilotos participando, tudo por conta de uma armação da equipe de Michael Waltrip que na prova de Richmond em que Clint Bowyer provocou uma bandeira amarela prejudicando Ryan Newman. Com isso Martin Truex Jr entrou no Chase, mas dias depois a NASCAR decidiu tirá lo do Chase e esse episódio teve graves consequências com a patrocinadora NAPA saindo do time.


Entre os brasileiros que disputam a NASCAR, um ano de contrastes para Nelsinho Piquet e Miguel Paludo. Nelsinho chegou à Nationwide prometendo brigar por vitórias, mas este ano o problemático carro da equipe Turner Scott acabou deixando o brasileiro irritado, no fim a 12ª colocação não o deixou satisfeito, já Paludo provou ter evoluído em seu terceiro ano na Truck Series. Com uma campanha consistente, ele chegou a ficar no Top 5 do campeonato, mas no fim cometeu deslizes mesmo com a forte competitividade da categoria.

Paludo terminou o campeonato na sétima colocação e para 2014 ele não sabe se corre mais um ano na Truck Series onde pode tentar vencer corridas ou ir para a Nationwide. Na Truck Series o campeão foi Matt Crafton e Austin Dillon foi o grande campeão na Nationwide. Um outro fato marcante da temporada foi a histórica vitória do piloto Darrell "Bubba" Wallace, a primeira de um negro em 50 anos na etapa de Martinsville.

Para os fãs da categoria no Brasil, 2013 não deixará saudades pois o canal Fox Sports protagonizou a pataquada do ano ao relegar as corridas do Chase para a madrugada. E o impressionante disso é que foram 9 das dez corridas, sendo a última transmitida ao vivo. Para 2014 a chegada do segundo canal dê esperanças aos fãs de ter todas as corridas transmitidas ao vivo.

Stock Car: O título da garra para Ricardo Maurício:


Foi um título sofrido, mas Ricardo Maurício soube dosar estratégia e eficiência para conquistar o seu segundo título na Stock Car, um título que veio na Corrida do Milhão com o segundo lugar, ficando com três pontos a mais que Thiago Camilo que chegou em vantagem na última corrida, mas a queda de rendimento fez com que o título escapasse de suas mãos. Cacá Bueno e Daniel Serra também ficaram pelo caminho. A temporada teve Rubens Barrichello se destacando como o melhor estreante do ano e o adeus de David Mufato que foi campeão em 2003 e vai pra Fórmula Truck correr ao lado do pai Pedro Muffato de 73 anos, o mais velho piloto em atividade no mundo. Para 2014 o calendário terá 21 corridas sendo nove rodadas duplas e a Corrida do Milhão sendo disputada em outro autódromo.

Truck: Beto Monteiro leva os dois títulos de uma só vez:


Num ano de renovação, a Fórmula Truck viu uma temporada equilibrada, mas no fim quem fez a festa foi o pernambucano Beto Monteiro que levou os títulos brasileiro e sul americano. No sul americano Beto Monteiro empatou em pontos com Leandro Totti, mas levou o troféu por ter vencido uma corrida em Interlagos. Na decisão em Brasília quatro pilotos disputaram o título e no final Beto Monteiro chegou em quarto lugar obtendo seu segundo título na categoria, já que foi campeão em 2004. O campeonato de 2014 terá 10 etapas e não terá corridas durante a Copa do Mundo.

Jacarepaguá vira história:


Desativado em outubro de 2012 o Autódromo de Jacarepaguá desapareceu definitivamente em 2013 com o início das obras do Parque Olímpico que vai abrigar as modalidades da Olimpíada do Rio de Janeiro em 2016. Enquanto isso o novo autódromo prometido para ser construído em Deodoro segue embargado por uma liminar que impede o início das obras.

O novo prodígio das duas rodas:


Com apenas 20 anos de idade o espanhol Marc Marquez arrebentou em sua temporada de estreia na Moto GP conquistando seu primeiro título na categoria principal em mais um duelo com os compatriotas Jorge Lorenzo e Dani Pedrosa. Ele superou a marca de Kenny Roberts que foi campeão da categoria em 1978.

A morte passeia na pista:


2013 mais uma vez foi um ano sangrento nas pistas com mortes ocorrendo em duas e quatro rodas. Nas motos tivemos as mortes do italiano Doriano Romboni que em evento realizado na Itália morreu da mesma forma que o italiano Marco Simoncelli em 2011, atropelado por outra moto. No Brasil tivemos a morte do motociclista Cristiano Ferreira em Interlagos ao ser atropelado por outro competidor no S do Senna.


Em Brasília a piloto Vanessa Daya de 31 anos morreu depois de acidente grave durante o campeonato brasiliense de motovelocidade quando a moto que dirigia capotou várias vezes causando traumatismo craniano e levando à morte. Na edição de número 90 das 24 Horas de Le Mans o piloto dinamarquês Allan Simonsem perdeu o controle do carro ao passar por uma zebra e bater forte contra um guard rail e morrer aos 34 anos.


Na NASCAR o piloto Jason Leffler de 37 anos morreu em acidente no circuito oval de terra de Bridgefort na Pensilvãnia e a espanhola Maria de Vilota que foi encontrada morta. Ela sofreu em 2012 durante testes um grave acidente onde perdeu o olho direito.


Outras duas mortes do ano foram sem acidentes, mas por sua importância dentro do automobilismo: o argentino José Froilan Gonzalez, primeiro piloto a vencer com o carro da Ferrari em 1951 e o húngaro naturalizado brasileiro Mihaly Hidasy que por 18 anos foi diretor de prova do Grande Prêmio do Brasil dando as bandeiradas para as vitórias de Nelson Piquet em 1986 e Ayrton Senna em 1991 e 1993. Outra morte do ano foi a do Barão Wilson Fittipaldi, pai do bicampeão Emerson Fittipaldi.

Acompanhe sempre o nosso blog, assine o nosso feed. Também não perca nenhuma postagem e fique sempre ligado em nosso blog. Curta a nossa página do facebook, siga-nos pelo twitter e circule-nos no Google +.


Por Kléber Nunes
Texto de: Blog de Knunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Regras para a comunicação:
Aqui é um ambiente para se discutir futebol com paz, por isso não utilize palavrões, xingamentos e outras atitudes baixas. Vamos manter o nível.

Agradeço pela visita, volte sempre!