segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Retrospectiva 2012: A trapaça de Armstrong e o ano da afirmação do MMA

Dando prosseguimento com a retrospectiva vamos falar dos esportes em geral. No MMA, Anderson Silva destronou o falastrão Chael Sonnen, no tênis, Novak Djokovic segue como o número 1, no basquete, Brasília domina o cenário nacional mas o ano também teve a mancha da vergonha com o caso de doping que baniu o ciclista Lance Armstrong e a brilhante participação brasileira nas Paralimpíadas de Londres.

Anderson Silva humilha Sonnen e Cigano perde o cinturão






Na luta mais esperada do ano, Anderson Silva não deu chance para Chael Sonnen no UFC 148. Antes mesmo da luta começar, o falastrão americano provocou o brasileiro na encarada pós pesagem., mas na hora do combate, o Spider não deu mole e avisou que a brincadeira acabou. No segundo round da luta Spider encaixou uma joelhada e uma sequência de chutes e socos que deixou Sonnen desnorteado. No final, ambos fizeram as pazes e o brasileiro o convidou para participar de um churrasco. Chael Sonnen havia voltado depois de doping e antes da revanche contra Anderson Silva derrotou Brian Stann.



Meses depois ele voltou a lutar, em categoria diferente e não decepcionou ao derrotar Stephan Bonnar na terceira edição do UFC Rio de forma arrasadora. Os lutadores brasileiros do MMA também brilharam em 2012. Logo no primeiro UFC Rio em janeiro, José Aldo nocauteou Chad Mendes e foi pra galera, Edson Barboza deu um nocaute de cinema em seu adversário e Vitor Belfort brilhou ao derrotar Anthony Johnson. Pela primeira vez o TUF - Em busca de campeões teve uma edição no Brasil. O reality exibido pela Rede Globo foi exibido nas noites de domingo e teve disputa entre Wanderlei Silva e Vitor Belfort, só que a tão esperada luta não aconteceu por conta da contusão de Wanderlei. Já Júnior Cigano dos Santos começou o ano defendendo seu título derrotando Frank Mir, mas no final do ano é duramente castigado e perde o cinturão para Cain Velazquez. E Renan Barão se juntou aos campeões brasileiros da modalidade se tornando campeão dos galos ao derrotar Urijah Faber. O UFC 151 virou uma confusão depois da recusa de Chael Sonnen em lutar contra Jon Jones. Vitor Belfort não fugiu da responsabilidade e quase venceu Jones, só que a sensação do MMA mesmo machucado conseguiu finalizá lo.

Brasília segue mandando no basquete nacional


Basquete Brasília NBB (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)



LeBron James levanta o troféu após o título do Miami Heat (Foto: Agência EFE)


No basquete, 2012 ratificou o domínio do time de Brasília no cenário nacional. Pelo terceiro ano seguido o UNICEUB conquistou o título do Novo Basquete Brasil. A decisão foi em jogo único contra o São José e mesmo jogando em ginásio neutro, a equipe não deu chances e levou o tricampeonato do torneio. Com um time experiente e jogadores de seleção como Nezinho, Guilherme Giovannoni e Alex, o time manteve o impressionante domínio levando o troféu. Na NBA, o campeão da temporada foi o Miami Heat do astro LeBron James que finalmente venceu um campeonato na franquia.

Juliana e Larissa anunciam separação e Zé Roberto entra pra história


Juliana e Larissa homenagem vôlei de praia (Foto: Mauricio Kaye / CBV)

No vôlei, o Brasil teve uma temporada marcada pelo bi olímpico das meninas e da separação da dupla vitoriosa Juliana e Larissa. Depois de nove anos, a dupla se separou. Foram sete títulos do Circuito Mundial, quatro medalhas em mundiais e a medalha de bronze em Londres. Foi em Londres que Zé Roberto Guimarães conquistou o tricampeonato olímpico como treinador.

O ano da afirmação de Murray, das visitas de Nole e Federer e Guga entre os maiores do tênis

O ano do tênis foi de equilíbrio entre os homens e contraste entre as mulheres. No tênis feminino, a russa Victoria Azarenka terminou o ano liderando o ranking, mas ficou à sombra de Serena Williams que ganhou dois títulos de Grand Slam e a medalha de ouro nas Olimpíadas.

Já entre os homens, a temporada teve grandes momentos: logo no começo do ano uma partida histórica entre Novak Djokovic e Rafael Nadal pelo Aberto da Austrália. Os dois jogaram mais de 5 horas de partida e no fim, Nole levou a melhor. O espanhol teve um ano difícil, por conta de uma lesão no joelho que o tirou das Olimpíadas e do resto da temporada, mesmo assim ganhou pela sétima vez o torneio de Roland Garros.








Gustavo Kuerten, Hall da Fama, Guga (Foto: Agência AP)


Roger Federer por sua vez ganhou o torneio de Wimbledon e completou 302 semanas como líder do ranking. O suíço terminou a temporada visitando o Brasil pela primeira vez em um evento ao lado de outros tenistas como Jo Wilfred Tsonga, Caroline Wozniacki e cia. Federer vestiu a camisa da seleção e comeu sanduíche de mortadela em uma feira paulistana. Nole também veio ao Brasil e fez a alegria dos fãs durante desafio de exibição com Gustavo Kuerten, o Guga. Sempre simpático e brincalhão, o tenista sérvio divertiu o público com suas imitações. Falando em Guga, o tenista aposentado entrou no Hall da Fama se tornando imortal no mundo do tênis.




Depois de nove anos o Brasil voltou a fazer parte do Grupo Mundial da Taça Davis graças à vitória da dupla Marcelo Melo e Bruno Soares contra a Rússia.




O escocês Andy Murray se tornou o grande nome da temporada. Enquanto Federer e Djokovic duelam pela liderança, Murray evoluiu em 2012 e um dos fatores para isso foi a parceria com o ex- tenista tcheco Ivan Lendl. Murray ganhou a medalha de ouro do tênis na Olimpíada de Londres, na quadra sagrada de Wimbledon, ganhou confiança e em setembro acabou com a maldição de 76 anos sem um título de um britânico nos torneios do Grand Slam ao ganhar o US Open.

Da glória à trapaça: Lance Armstrong é banido do esporte



O ciclista Lance Armstrong conquistou em sua carreira sete títulos da Volta da França, a mais importante prova de ciclismo do mundo, mas todas essas glórias foram à base de trapaça. Acusado de participar do mais eficaz sistema para driblar o doping, Armstrong foi banido do esporte e não recorreu da decisão da União Ciclística Internacional. Ele perdeu todos os títulos conquistados. Lance Armstrong decidiu não recorrer e perdeu o prazo para isso. Mesmo se declarando inocente, ele se tornou um péssimo exemplo para o esporte.

Brasil faz bonito nas Paralimpíadas de Londres
















O Brasil fez bonito nas Paralimpíadas de Londres com uma campanha espetacular. Foram 43 medalhas sendo 21 de ouro, 14 de prata e 8 de bronze somando 43 medalhas terminando na sétima colocação. Os destaques brasileiros foram o nadador Daniel Dias que ganhou seis medalhas de ouro se tornando o maior atleta paralímpico do país, a corredora Terezinha Guilhermina que num exemplo de espírito esportivo se solidarizou com seu guia que havia se lesionado caindo e depois cruzando a linha de chegada um minuto depois das concorrentes e para Alan Fonteles que derrotou o Blade Runner Oscar Pistorius nos 200 m T44.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Regras para a comunicação:
Aqui é um ambiente para se discutir futebol com paz, por isso não utilize palavrões, xingamentos e outras atitudes baixas. Vamos manter o nível.

Agradeço pela visita, volte sempre!