sábado, 21 de julho de 2012

O Brasil em Londres: Gigantes brasileiros do basquete estão de volta

A série sobre os atletas que vão representar o Brasil nas Olimpíadas de Londres prossegue e vamos falar do basquete.

A Liga Americana de Basquete (NBA) anunciou nesta segunda-feira o lançamento de uma loja virtual oficial no Brasil, em evento em São Paulo, que contou com a presença de Leandrinho Barbosa, Nenê Hilário, Tiago Splitter e Anderson Varejão  Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

Depois de um longo jejum de 16 anos de ausência o basquete masculino brasileiro está de volta às Olimpíadas. Ao mesmo tempo o esporte se rejuvenesce a partir de 2009 coma criação do Novo Basquete Brasil, que a cada ano se fortalece cada vez mais. E agora com o basquete brasileiro de volta às Olimpíadas abriu se uma nova perspectiva. Para ressuscitar o esporte o Brasil foi buscar na vizinha Argentina o vitorioso técnico Rubén Magnano que conduziu a Argentina à conquista histórica da medalha de ouro em Atenas.

Dentro da quadra tem gringo na equipe: o americano Larry Taylor que se naturalizou brasileiro para jogar na seleção vem treinando para cantar o Hino Nacional para defender as cores verde e amarela. Outro reforço importante é para a Legião de jogadores da NBA: Anderson Varejão, Tiago Splitter, Nenê e Leandrinho estão no elenco que ainda tem Marcelinho Huertas que joga no basquete da Espanha e dos jogadores que atuam no Brasil como Alex e Guilherme Giovannoni do Brasília, Marcelinho Machado do Flamengo, que terá finalmente sua chance de brilhar em Olimpíada e jovens como Raulzinho e Caio Torres.



Já o time feminino vem se preparando desde o mês de maio para os jogos, mas a realidade foi dura: na série de amistosos contra a seleção da Austrália, a equipe feminina foi derrotada nas três partidas, mas o técnico Luiz Cláudio Tarallo aposta na mescla da juventude de Damiris com a experiência de jogadoras como Adrianinha, que em Sydney conquistou a medalha de bronze. Só que um problema de última hora pode minar a nossa participação. A ala Iziane foi cortada da equipe ao cometer ato de indisciplina por levar o namorado à concentração e com isso o país terá 11 atletas não sendo convocada nenhuma substituta.

O Brasil está numa chave com a forte seleção da Rússia, Austrália, as inglesas donas da casa, as francesas e canadenses. A chave dos homens terá a Espanha, China, Austrália, a seleção anfitriã e um dos classificados do Pré Olímpico Mundial e o objetivo é fazer um bom papel na primeira fase para escapar do confronto com os Estados Unidos que mais uma vez leva à quadra os melhores jogadores da NBA.

Um comentário:

  1. Nossas Seleções de basquete não são muito fortes. Mas acreditamos no bronze, pelo menos, do basquete masculino que já não participava das Olimpíadas, se não me engane, a 4 anos.

    ResponderExcluir

Regras para a comunicação:
Aqui é um ambiente para se discutir futebol com paz, por isso não utilize palavrões, xingamentos e outras atitudes baixas. Vamos manter o nível.

Agradeço pela visita, volte sempre!