sexta-feira, 8 de junho de 2012

Com show de Arshavin, Rússia estréia goleando a República Tcheca


Guiada por uma atuação espetacular de Andrey Arshavin, a Rússia sapecou uma goleada de 4a1 pra cima da República Tcheca, assumindo a liderança no grupo A da Euro 2012. Apesar do capitão e camisa 10 ter sido o protagonista na partida, há que se exaltar também o poderoso jogo coletivo da equipe comandada pelo holandês Dick Advocaat: os russos sabiam exatamente o que fazer com a bola nos pés, com destaque para os contra-ataques fulminantes, fazendo lembrar a Alemanha de Joachim Low na Copa do Mundo 2010.

O jogo (confira como foi a transmissão da partida em tempo real)

Dizer que a intensidade da partida podia ser flagrada desde pouco depois de a bola ter começado a rolar no estádio Miejski não é nenhum exagero. Logo aos dois segundos, tivemos a primeira falta cometida no jogo. Aos vinte e três segundos, a segunda infração. Mas engana-se quem pensa que estamos aqui falando de um confronto faltoso. Muito pelo contrário: russos e tchecos fizeram uma partida limpa, onde o árbitro inglês Howard Webb sequer precisou tirar os cartões do bolso.

Nos primeiros minutos, a República Tcheca até conseguiu marcar presença no campo de ataque, mas sem necessariamente estabelecer uma pressão pra cima da defesa adversária. A primeira grande chance deu-se na primeira boa chegada da Rússia: aos treze minutos, Zhirkov recebeu ótimo passe de Arshavin pelo lado esquerdo, cruzou rasteiro e a finalização saiu à esquerda. Era o anúncio de que o gol logo sairia, como saiu no minuto seguinte: em contra-ataque maravilhoso, Zyryanov cruzou da direita com precisão, Kerzhakov cabeceou no contrapé de Petr Cech carimbando a trave esquerda e, no rebote, Dzagoev encheu o pé para estufar a rede. 1a0 Rússia.

E para deleite dos amantes do futebol arte, muitos outros contra-ataques belíssimos aconteceriam ao longo da partida. Aos dezoito minutos, ele foi iniciado por Arshavin no campo de defesa e terminou com chute de Dzagoev, que passou à esquerda, quase resultando no segundo gol. Dessa forma, a Rússia postou-se em campo de modo a valorizar a saída em contra-ataque, dando campo aos tchecos. É claro que essa história de dar campo ao oponente é um negócio perigoso, e de fato a República Tcheca quase chegou ao empate aos vinte e um minutos: Pilar cruzou da esquerda buscando Rezek, mas Zhirkov conseguiu cortar em escanteio. Dois minutos depois, os russos responderam marcando o segundo gol: em nova saída rápida para o ataque, Arshavin deu passe magistral para deixar Shirokov na cara de Cech, e o camisa meia dúzia não desperdiçou, dando sutil toque para tirar do goleirão. 2a0 Rússia.

Aos vinte e seis minutos, houve um lance de pênalti, não marcado por Webb: Plasil fez a carga sobre Arshavin dentro da área, mas o árbitro inglês entendeu como lance normal. Arshavin estava inspirado e, aos vinte e oito, fez jogada individual pela direita, cruzou à meia-altura, mas ninguém chegou na bola para concluir o lance.

A República Tcheca tentava reencontrar seu jogo e até chegou a ter alguns momentos de pressão pra cima da defesa russa, mas o goleiro Malafeev mostrava segurança nas intervenções que lhe cabiam. E se os tchecos tinham dificuldade para criar as ocasiões de gol, os russos iam para o ataque quase sempre de maneira avassaladora: aos trinta e dois minutos, Zyryanov tocou rasteiro e Kerzhakov finalizou mandando por cima da barra horizontal. Com ritmo menos acelerado que o visto até então, o jogo rumou para o intervalo com a manutenção do placar de 2a0. Então, Michal Bílek tratou de mexer na equipe: trocou Rezek por Hubschman e conseguiu transformar o jeito de jogar da equipe. Com essa mudança de um atacante por um volante, Bílek deu maior liberdade para Plasil, Jiracek, Rosický e Pilar enconstarem em Baros. E o dedo do treinador teve resultado prático aos seis minutos: Plasil deu passe sensacional para Pilar, que driblou o goleiro Malafeev e mandou para a rede, marcando o primeiro gol da República Tcheca.

Os tchecos realmente melhoraram na partida, mostrando maior organização com e sem a bola. Só que os comandados de Dick Advocaat foram encontrando um jeito de jogar para reestabelecer o domínio na partida e a Rússia foi crescendo novamente no jogo. Aos dezessete, Zyryanov recebeu de Arshavin e chutou por cima. Aos dezoito, Arshavin fez nova grande jogada ao carregar a bola e entregá-la para Kerzhakov, que chutou cruzado e para fora, à direita. Só dava Rússia e só dava Arshavin: no minuto seguinte, o camisa 10 tocou na passagem de Zhirkov, que cruzou e a defesa tcheca conseguiu interceptar. Com vinte e dois minutos, Kerzhakov recebeu pela direita e voltou a falhar no remate, chutando com força de mais e direção de menos. Aos vinte e quatro, nova investida russa terminou em conslusão errada de Kerzhakov, dessa vez chutando torto e mandando à direita. Advocaat tratou de tomar uma atitude e trocou Kerzhakov por Pavlyuchenko, mexida que ajudaria a Rússia a transformar a vitória em goleada.

Aos trinta e três minutos, uma boa troca de passes da Rússia chegou até Pavlyuchenko, que enfiou sob medida para Dzagoev e o camisa dezessete tratou de marcar seu segundo gol no jogo, isolando-se na lista de goleadores na Eurocopa 2012. 3a1 Rússia. E, três minutos depois, na marca de trinta e seis no segundo tempo, saiu o gol mais bonito na partida e, desde já, candidato a gol mais bonito no torneio: Pavlyuchenko recebeu pela esquerda, limpou o lance diante dos marcadores que o acompanhavam e tratou de chutar com precisão. Cech resvalou na bola, mas sem conseguir evitar que ela entrasse no gol, indo parar no ângulo direito.

Nos acréscimos, a República Tcheca faria lindo gol para diminuir a diferença no placar, mas foi flagrado impedimento após bela troca de passes que terminou na rede. Mais do que o expressivo resultado de 4a1, diria que a Rússia mostrou um futebol que permite a essa seleção sonhar com uma Eurocopa tão boa - ou quem sabe até melhor - que aquela espetacular vista em 2008, quando também foram liderados por um Arshavin estupendo. Os tchecos precisam levantar a cabeça e não desanimar com o revés na estréia: o time tem qualidades, que apareceram mais depois que Pilar passou a ser melhor utilizado na partida.

Outro resultado
Polônia 1a1 Grécia

Extraído de Jogada De (E)feito

2 comentários:

  1. Soham,

    a Euro começa sem muitas supresas apesar do placar elastico da Russia sobre a R.Theca, que só tem mesmo o goleiro que joga de toca como destaque, rsrsrsr.

    Mas a promessa é que termos grandes jogos, aguardemos.

    BLOG DO CLEBER SOARES
    www.clebersoares.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. A Rússia jogou bonito e como joga esse Arshavin. Se manter a toada ficará como primeira do grupo.

    ResponderExcluir

Regras para a comunicação:
Aqui é um ambiente para se discutir futebol com paz, por isso não utilize palavrões, xingamentos e outras atitudes baixas. Vamos manter o nível.

Agradeço pela visita, volte sempre!