terça-feira, 1 de maio de 2012

Série: A História das Copas - 1982 (Parte 11/19)

Poster da Copa de 1982
A Copa do Mundo de 1982 foi a 12ª edição disputada, e contou pela primeira vez com 24 seleções. O campeonato ocorreu na Espanha.


Primeira Fase

A Argentina, campeã mundial, decepcionou. Os portenhos fizeram o jogo de abertura contra a Bélgica e perderam por 1 a 0. Classificaram-se em segundo lugar no grupo após vencerem a Hungria e El Salvador. Neste grupo, por um jogo a Hungria reviveu a máquina de Puskas e cia de 1954 e venceu El Salvador, do pobre goleiro Mora, por 10 x 1. A Bélgica ficava com a primeira vaga no grupo, confirmando que o vice-campeonato na Eurocopa de 1980 não fora acidente.


No grupo da Alemanha Ocidental uma das maiores zebras de todos os tempos! A Argélia, estreante em copas do mundo, não só ganhou como mandou no jogo, 2 x 1. A seleção germânica em seguida goleou o Chile e venceu sua "irmã", a Áustria, por 1 a 0, no chamado "jogo da vergonha". Como o resultado classificava ambos os times, alemães e austríacos não tiveram escrúpulos em tocar a bola de um lado para outro, sob vaias e protestos do público. Os argelinos, mesmo brilhantes, com 2 vitórias em 3 jogos acabaram eliminados.


O Sheik do Kwait não gostou de um lance
no jogo França X Kwait, foi reclamar
e o arbitro anulou o gol!
A França perdeu por 3 a 1 da Inglaterra na estréia, mas mesmo com uma campanha irregular conseguiu a classificação. Empatou com a Tchecoslováquia e ganhou do Kuwait por 4 a 1. Neste jogo, um sheik kuwaitiano, integrante da comissão técnica, invadiu o campo para protestar contra um gol da França e o árbitro anulou o gol! A Inglaterra com futebol sem criatividade, mas objetivo passou facilmente em primeiro lugar.




A Espanha, dona da casa, teve uma estreia decepcionante, mostrando que a "fúria" não iria longe na sua copa em casa. Empatou em 1 x 1 contra a estreante em copas, Honduras, com um gol de penalti no final da partida. Ficou em segundo lugar, em um grupo que foi liderado pela modesta Irlanda do Norte, que venceu os donos da casa por 1x0, após empatar com a Iugoslávia 0 x 0 e Honduras por 1 x 1.


Zico é marcado por
soviético na estréia
do Brasil na Copa de 1982
Já o Brasil, grande favorito ao título, estreou contra a URSS. Foi um jogo duríssimo, com a defesa brasileira falhando muito e com gol anulado do lado soviético, além de um pênalti escândaloso não marcado para a seleção européia. Os soviéticos fizeram 1 a 0 numa falha de Waldir Peres. No segundo tempo, o Brasil se reencontrou e o gênio de Sócrates explodiu no gol de empate: Sócrates driblou dois jogadores e soltou uma bomba no ângulo. Aos 43 minutos, Éder Aleixo dispara um violento chute no ângulo de Rinat Dasayev: Brasil 2 a 1. Em seguida, a equipe de Telê venceu a Escócia, por 4 a 1 - foi a segunda virada dos Canarinhos. Zico brilhou com um bonito gol de falta. Contra a Nova Zelândia, a seleção novamente venceu por goleada, 4 a 0.


Em Vigo, a Itália dava um vexame após outro. Foram 3 péssimos jogos na primeira fase da Copa. Empate com Polônia, Peru e Camarões, a a azurra só se classificou por ter feito um gol a mais que os africanos. A Polônia de Lato e Boniek goleou o Peru por 5 x 0 e ficou com o primeiro lugar do grupo. O clima da seleção italiana era tão ruim, que o técnico Enzo Bearzort ordenou que seus jogadores não dessem entrevistas, e não lessem os jornais, para que não se deixassem contaminar pelo pessimismo da imprensa italiana.


Segunda Fase

Cena de Brasil x Argentina

No grupo da França, a seleção de Michel Platini despachou a Áustria e a Irlanda do Norte. Já a Polônia de Lato e Boniek, voltava a fazer uma copa comparável com a célebre campanha de 1974, e eliminava a Bélgica e a URSS, ganhando um lugar na semifinal. A Alemanha Ocidental sepultou o sonho espanhol do primeiro título e despachou a "Fúria", além do English Team, provando uma vez mais o grande poder de recuperação das seleções alemãs, como em 54 e 74.

O italiano Gentile disputa a bola com
Maradona.
O Brasil enfrentou Argentina e Itália. Primeiramente, o Brasil bateu a Argentina por 3 a 1, uma vitória brilhante, uma humilhante despedida para os argentinos de malas prontas para voltarem a Buenos Aires, no dia em que Diego Maradona foi expulso, depois de acertar o volante brasileiro Batista com um chute no estômago (ai).

A Itália jogou três jogos péssimos na fase de classificação, porém, na Segunda Fase, a mística da Azzurra incendiou a equipe, que disparou rumo ao tricampeonato. A seleção europeia venceu o primeiro jogo contra a Argentina por 2 a 1, complicando e muito a situação dos portenhos, que, como já visto, perderam do Brasil. Depois, viria um dos grandes jogos da Copa, para muitos, a grande partida, que definiu os rumos do mundial.

A tragédia do Sarriá

Falcão disputa bola
com Paolo Rossi

Brasil e Itália se enfrentavam pelo segundo jogo da segunda fase. Como a Itália havia vencido a Argentina por 2 x 1, e o Brasil por 3 x 1, a seleção canarinho, favorita ao título, tinha a vantagem do empate. Os brasileiros acreditavam em uma vitória tranquila, pois a Itália só havia vencido um jogo na copa, enquanto o Brasil era o único com aproveitamento de 100%. Aos 5 minutos, um cruzamento da esquerda do ataque e cabeceio de Paolo Rossi, com a defesa brasileira parada assitindo à cabeçado do italiano. Porém o Brasil não se intimida. Zico se livra de Claudio Gentile e toca brilhantemente para Sócrates. O "Doutor" invade a área e chuta forte, empatando o confronto.
Paolo Rossi é marcado por Júnior.
A Itália marca forte a saída de bola do Brasil, e força o erro da seleção. Toninho Cerezo faz um toque lateral, Falcão e Luisinho esperam um pelo outro, Paolo Rossi não espera por ninguém, toma a bola e chuta forte, marcando 2 x 1.
O time canarinho ainda tem todo o segundo tempo para empatar e se classificar, e é no segundo tempo que o time de Telê dava um verdadeiro show nos adversários. Júnior toca a bola para Falcão, na entrada da área, Cerezo faz uma ultrapassagem que ilude a defesa azul, que o acompanha, e Falcão chuta, 2 x 2. O resultado era o suficiente para a classificação do Brasil.
Paolo Rossi vibra com a vitória inesperada.
Mas o lance fatal viria logo em seguida: um escanteio, que não foi, para a Itália. Por ironia do destino, o time que só jogava no ataque estava todo dentro da área, no lance trágico. Após o corner a bola sobra na entrada da área, um chute é desferido e a bola, ingrata, acha ele, Paolo Rossi, que desvia sua trajetória e mata Valdir Peres, 3 x 2. O Brasil tem uma última chance, mas o veterano goleiro Dino Zoff decreta a derrota brasileira ao fazer uma defesa espetacular em uma cabeçada certeira de Oscar.




Semifinais

A Alemanha passou à final após uma vitória épica contra a França de Platini, no outro jogo que marcou a Copa, ao lado de Brasil x Itália. No tempo normal, 1 a 1. Na prorrogação, a França chega a fazer 3 a 1. Mas, os alemães, liderados por Rummenigge, buscaram o resultado e empataram o jogo em 7 minutos, numa das mais espetaculares reações de todos os tempos. Na primeira decisão por pênaltis da história, deu Alemanha. O lado lamentável foi a covarde agressão que o goleiro alemão, Harald Schumacher, cometeu sobre Patrick Battiston, que caiu no chão sem sentidos, o que fez muitos acreditarem que o atacante francês havia morrido.
A Itália venceu a Polônia, em Vigo, por 2 x 0, dois gols de Paolo Rossi, agora carrasco também dos poloneses, que perderam mais uma vez a chance de chegar a uma final de copa.
Na decisão do terceiro lugar, a França, confirmando seu eterno posto de inferioridade diante da Alemanha e da Polônia, sucumbiu frente aos "Águias Brancas", que igualariam o 3º lugar de 1974: Polônia 3 x 2 França.

Final


A final da Copa aconteceu no Estádio Santiago Bernabéu, em Madri. Mas o que era para ser um clássico virou um passeio italiano. AAzzurra passeou em campo, embalada pelas vitórias sobre Argentina e Brasil, e não tomou conhecimento da Alemanha. O 1º tempo termina com 0 x 0. No 2º tempo porém, a seleção italiana abriu 3 x 0, sendo o primeiro gol do carrasco Paolo Rossi, que assim se tornava o artilheiro do torneio, com 6 tentos. A Alemanha ainda descontou, mas já era tarde para a reação do time germânico. A Itália era mesmo a campeã, consagrada em cima da Argentina (campeã do mundo), do Brasil (favorito ao título) e da Alemanha (sua maior rival).


Curiosidades
Antes de embarcar para a Espanha com a seleção, o lateral Júnior gravou e lançou um compacto (disco de vinil em tamanho pequeno) com a música "Povo Feliz", mais conhecida como "Voa Canarinho", que foi a música-tema da equipe para o mundial. A música fez tanto sucesso no Brasil, que o compacto vendeu mais de 200 mil cópias durante a realização da Copa.


►A  maior goleada de todas as Copas registrada nesta edição: Hungria 10 X 1 El Salvador. O atacante hungaro László Kiss se tornou o primeiro reserva a marcar três gols em uma partida de Copa do Mundo. Ao marcar o gol de honra de El Salvador, o meia Ramírez se tornou o maior jogador de futebol daquele país.


►O zagueiro Edinho declarou que Éder e Serginho recebiam mil dólares cada para comemorar seus gols perto de uma placa de publicidade.


►O príncipe do Kuwait, Fahad Al-Ahmed Al-Jaber Al-Sabah, não se contentou apenas em invadir o campo e paralisar o jogo com a França quando o seu time perdia de 3 a 1 e tomou o quarto gol em flagrante impedimento do atacante francês Girèsse. No dia seguinte, mesmo tendo conseguido anular o gol, ele acusou a FIFA de ser dominada pela Máfia e acabou sendo punido pela entidade com multa de 11 mil dólares. A equipe do Kuwait foi treinada pelo brasileiro Carlos Alberto Parreira, que, doze anos depois, seria tetracampeão pelo Brasil. Já o príncipe teria um fim trágico: em 1990, foi assassinado junto com outros membros do Comitê Olímpico Kuwaitiano (do qual era presidente), sob ordens de Saddam Hussein, que, por ter invadido o Kuwait, vira o Comitê Olímpico Iraquiano ser banido pelo COI.


►Honduras produziu uma das cenas mais comoventes da Copa de 1982. Sonhando em conseguir uma vaga para a segunda fase da competição, o time segurou o 0 a 0 contra a Iugoslávia até 42 minutos do segundo tempo. Aí a zaga cometeu um pênalti infantil e Honduras acabou derrotada. No final da partida, todo o time chorou copiosamente no gramado.


►Foi nessa edição que o brasileiro Arnaldo César Coelho se tornou o primeiro juiz não-europeu que apitou uma final de Copa do Mundo. As duas finais seguintes também seriam apitadas por dois não-europeus: a de 1986 pelo também brasileiro Romualdo Arppi Filho e a de 1990 pelo mexicano Edgardo Codesal.







4 comentários:

  1. Este ano completam - se 30 anos da tragédia do Sarriá. A melhor seleção desde 70 foi derrotada de forma injusta por um time que não havia feito nada e só se classificou por ter melhor saldo de gols que Camarões. Daquela forma, a Itália mereceu ganhar aquele mundial, mas pra mim, que era bem pequeno quem merecia ganhar era o Brasil. Foi uma pena aquele timaço perder a Copa de 82.

    ResponderExcluir
  2. Muito forte o time da Itália, passou por diversas seleções grandes, inclusive o Brasil

    SANGUE AZUL

    ResponderExcluir
  3. Um Copa que aconteceu várias situações, a que mais me chamou a atenção foi do presidente do Kuwait.

    ResponderExcluir

Regras para a comunicação:
Aqui é um ambiente para se discutir futebol com paz, por isso não utilize palavrões, xingamentos e outras atitudes baixas. Vamos manter o nível.

Agradeço pela visita, volte sempre!