sábado, 14 de abril de 2012

Série : A História das Copas - 1974 (parte 10/19)


Copa do Mundo de 1974 foi a 10ª edição da Copa do Mundo de Futebol, que ocorreu de 13 de junho até 7 de julho de 1974. O evento foi sediado na Alemanha Ocidental. Dezesseis seleções nacionais foram qualificadas para participar desta edição do campeonato, sendo 9 delas europeias (Alemanha Ocidental, Alemanha Oriental, Iugoslava, Escócia, Holanda, Suécia, Bulgária, Polônia e Itália), 5 americanas (Chile, Brasil, Uruguai, Argentina e Haiti), 1 africana (Zaire) e 1 oceânica (Austrália). As seleções da Alemanha Oriental, da Austrália, do Haiti e do Zaire faziam sua primeira participação na competição. A edição teve duas grandes goleadas: Haiti 0 x 7 Polônia e Iugoslávia 9 x 0 Zaire.


Primeira Fase
A Alemanha Ocidental de Franz Beckenbauer, Gerd Müller e outros era uma grande favorita. Outro selecionado, porém, surgiu como revelação a ameaçar esse favoritismo - a Holanda de Cruyff e Neeskens, que acabou sendo inovadora em suas atuações, apresentando resultados favoráveis. O timaço dos Países Baixos, dirigido por Rinus Michels, revolucionou o futebol mundial implementando um sistema tático onde os jogadores não guardavam posição fixa: era o chamado carrossel holandês. A Holanda, apelidada de Laranja Mecânica chegaram à final como os grandes favoritos ao título.

Essa foi a primeira Copa
em que o atual troféu foi
utilizado.
O Brasil, sem Pelé, Gérson, Carlos Alberto Torres, Tostão e Clodoaldo, não era sombra do super time de 1970. Jogando um futebol defensivo, o time suou para empatar contra a Iugoslávia e Escócia e ganhar do Zaire por 3 a 0, na medida para se classificar.
O Zaire (atual República Democrática do Congo) participou pela primeira vez da Copa do Mundo, ao vencer o Campeonato Africano de Nações.
No jogo Iugoslávia e Zaire na 1ª fase, a Iugoslávia vencia por 2X0, quando o goleiro zairense Kazadi pediu para ser substituído, alegando que mal tinha tocado na bola em 20 minutos jogados. Em seu lugar, entrou Tubilandu, que, logo depois que, entrou, teve que trabalhar - teve que pegar a bola no fundo da rede, depois que a Iugoslávia marcou seu terceiro gol. No final, a Iugoslávia goleou por 9X0 e ficou com o 1° lugar na chave.

Na única vez em que as duas Alemanhas se enfrentaram em uma Copa do Mundo, a Alemanha Ocidental, demonstrando sua frieza, abriu mão de sua invencibilidade e perdeu para a Seleção Alemã Oriental de Futebol por 1 a 0, evitando cair no grupo de Brasil e Países Baixos na segunda fase da Copa.
Um dos grupos mais fortes da copa era o D com Polônia, Itália e Argentina brigando pelas 2 vagas e o pobre do Haiti servindo de saco de pancadas para os protagonistas conquistarem saldo. O Haiti perdeu da Itália por 3 a 1, da Argentina por 4 a 1 e da Polônia por 7 a 0. Deu a lógica e quem goleou por mais acabou passando, avançando Argentina e Polônia. A Laranja Mecânica passeou no seu grupo e ganhou do Uruguai por 2 a 0, empatou com a Suécia 0 a 0 e goleou a Bulgária por 4 a 1.
A Escócia se tornou a primeira seleção a ser eliminada na 1ª fase sem perder um só jogo. Curiosamente, ela foi a única equipe invicta do torneio.
No mundial houve a estréia do chamado cartão vermelho.
Foi também o primeiro mundial que ocorreu o primeiro caso de doping. O fato ocorreu com o zagueiro do Haiti Jean-Joseph, na partida em que sua seleção foi goleada pela Polônia por 7 x 0. No dia seguinte ao anúncio pela FIFA, seguranças da delegação tiraram o atleta do quarto onde dormia, levaram-no para um jardim na própria concentração e deram-lhe uma brutal surra. Em comunicado distribuído à imprensa, a delegação do Haiti disse que a agressão foi justificada pelo doping, onde o zagueiro, com sua atitude, envergonhara a sua pátria.


Segunda Fase
Chega a Segunda Fase; neste mundial com dois grupos de 4, os melhores vão à final e os segundos colocados vão disputar o terceiro lugar. O Brasil ganha da Alemanha Oriental por 1-0, e da Argentina, por 2-1. A Holanda goleia a Argentina por 4-0 e vence a Alemanha Oriental por 2-0.
Cena do jogo entre Holanda e Alemanha Ociedental
Pelo melhor saldo de gols, a Holanda joga pelo empate na rodada final contra o Brasil. Em um jogo tenso, e por muitas vezes violento, a Holanda leva a melhor, vencendo por 2 a 0 na partida que decidiu o finalista de seu grupo.
Nas partidas de semifinais, que definiriam os finalistas, e quem decidiria o 3° lugar, entre Brasil e Holanda, e entre Alemanha Ocidental e Polônia, os jogos foram interrompidos durante seu andamento para se dar um minuto de silêncio pelo falecimento do presidente argentino Juan Domingo Perón ocorrido dois dias antes.
Já no outro grupo da segunda fase a Alemanha vence a Iugoslávia por 2-0, a Suécia por 4-2. A Polônia venceu a Suécia por 1-0 e a Iugoslávia por 2-1. Pelo melhor saldo de gols, a Alemanha tem a vantagem do empate no jogo contra a Polônia. Em um jogo difícil em um campo encharcado, a Alemanha vence a Polônia por 1-0, e vai à final.
Time da Holanda, vice campeão da
Copa de 1974, revolucionou o esquema
tático do futebol.
Nesta fase, o goleiro polonês Jan Tomaszewski, conseguiu a proeza de defender dois pênaltis. Um na partida contra a Suécia, em que defendeu o tiro de Tapper, e na semifinal contra a Alemanha, em que defendeu a cobrança de Uli Hoeness. Tal façanha não foi superada até hoje. Só foi igualada no mundial de 2002 pelo goleiro norte-americano Brad Friedel.
A partida entre Alemanha Ocidental e Polônia foi realizada com meia hora de atraso, devido à intensa chuva, que deixou o gramado do estádio totalmente alagado. O Corpo de Bombeiros foi acionado para drenar o campo com bombas de sucção, enquanto os funcionários do estádio percorriam o gramado com carrinhos de drenagem, para deixar o campo em condições de jogo. Mesmo assim, o campo continuou com poças de água durante a partida.
Restou ao Brasil jogar e perder, pelo terceiro lugar da Copa, contra a Polônia, 1 a 0 gol de Lato, que seria o artilheiro do torneio.
Seleção da Alemanha, campeã da Copa do Mundo de 1974
Na final, a Holanda saíram na frente logo no início gol de pênalti, com pouco mais de um minuto de jogo, sem que sequer um alemão tivesse tocado na bola. A Alemanha não se abala, e chega ao empate também de pênalti. Müller aproveita a bola na área e faz o gol da virada. Depois só deu Países Baixos, mas Sepp Maier, o arqueiro germânico, parou o ataque da laranja mecânica e a Alemanha repetiu 54: virou para cima da grande favorita da final e sagrou-se bicampeã do mundo.
Pela conquista da Copa do Mundo, cada jogador alemão ganhou um prêmio de 50 mil dólares e um Fusca 0 km. Cada jogador holandês ganhou 100 mil dólares, apesar do vice-campeonato.


Mascotes



Os mascotes oficiais da Copa de 1974 eram os garotos Tip e Tap


O Artilheiro
Com velocidade e grande disposição física, o atacante polonês Grzegorz Lato marcou sete gols, um deles contra o Brasil.


Curiosidades :
   ► A derrota da Alemanha Ocidental para a Alemanha Oriental teria sido arranjada para os anfitriões evitarem a Holanda.
   ► Os holandeses ganharam o dobro do bicho dos alemães e cobravam por autógrafos.
   ► Para evitar atentados, como o que aconteceu nas olímpiadas de Munique em 1972, as concentrações dos times eram protegidas por soldados.

A História das Copas:
Veja Mais: 
Copa de 1930 - Parte 1
Copa de 1934 - Parte 2
Copa de 1938 - Parte 3
Copa de 1950 - Parte 4
Copa de 1954 - Parte 5
Copa de 1958 - Parte 6
Copa de 1962 - Parte 7
Copa de 1966 - Parte 8
Copa de 1970 - Parte 9

2 comentários:

  1. Uma grande copa, a Holanda revolucionou o futebol com um esquema íncrivel esquema tático...

    ResponderExcluir
  2. Realmente essa Holanda é uma Seleção inesquecível, e como o Fernando Taveira disse, revolucionou o jeito de jogar futebol. Assim como o Barcelona faz hoje em dia.

    ResponderExcluir

Regras para a comunicação:
Aqui é um ambiente para se discutir futebol com paz, por isso não utilize palavrões, xingamentos e outras atitudes baixas. Vamos manter o nível.

Agradeço pela visita, volte sempre!